Os melhores e piores cursos de medicina do Brasil, segundo o MEC


Confira os cursos de medicina que tiveram as melhores e as piores avaliações do MEC no ciclo avaliativo de 2016

Por Camila Patim, da Exame

São Paulo – A Universidade Federal de Viçosa é a instituição que teve o curso de medicina mais bem avaliado do Brasil, segundo avaliação do Ministério da Educação (MEC).

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que pertence ao MEC, divulgou hoje no Diário Oficial da União e em seu portal os dados relativos dois dos principais indicadores de qualidade da educação superior brasileira: o Conceito Preliminar de Curso (CPC) – indicador de qualidade que avalia os cursos de graduação –, e o Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC). Os dados já estavam disponíveis para consulta das universidades desde sexta-feira, dia 24 de novembro.

As informações referem-se ao ciclo avaliativo de 2016 do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) que contemplou 18 áreas de avaliação, 4.300 cursos e 195.757 participantes no exame.

O CPC é sempre divulgado no seguinte à realização do Enade e leva em conta os cursos daquele ciclo avaliativo já que a cada ano diferentes áreas do conhecimento são avaliadas.

Foram avaliados cursos superiores de agronomia, biomedicina, educação física, enfermagem, farmácia, fisioterapia, fonoaudiologia, medicina, medicina veterinária, nutrição, odontologia, serviço social, zootecnia. Entre os cursos tecnológicos área de ambiente e saúde, produção alimentícia, recursos naturais, militar e segurança.

Como é calculado o CPC ?

As notas vão de 1 a 5. A base de cálculo, segundo informa o Inep, é o desempenho dos estudantes no Enade, o valor que tem a formação por meio do indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD), avaliação dos corpo docente no Censo da Educação Superior além de dados obtidos com o Questionário do Estudante relativos a infraestrutura e instalações físicas, organização didático-pedagógica e oportunidades de ampliação da formação acadêmica e profissional.

Entenda a diferença entre CPC faixa e CPC contínuo

Cursos com CPC contínuo maior ou igual a 3,945 em todos os componentes avaliados são tem a nota “arredondada” para o valor máximo do CPC faixa. Se não obtiverem em todo os componentes a nota decimal maior que 0,945 isso não acontece e o curso com 3,945 terá CPC faixa 4.

Para ter a nota CPC, é preciso que ao menos dois estudantes concluintes do curso façam o Enade. Os cursos que não atendam a esse critério ficam na condição de “Sem Conceito (SC)”.

Universidades cujos estudantes não participam do Enade, entre as quais está incluída a USP (Universidade de São Paulo), não são consideradas pelo ranking.

Clique aqui e veja os rankings com os melhores (CPC faixa entre 4 e 5) e piores (CPC faixa abaixo de 3) cursos de medicina do Brasil.

Foto: Reprodução

Compartilhar:

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *