fbpx

CENTRAL DE ATENDIMENTO 24H: 0800 61 3333

Mulher morre após esperar 7h por transferência entre hospitais

Ela teve parada cardiorrespiratória e precisava ir para UTI no Vale do Itajaí (SC). Ambulância do Samu quebrou e família pagou por transporte particular.

Uma mulher morreu quatro dias após enfrentar problemas com a transferência entre dois hospitais do Vale do Itajaí. A paciente de 27 anos deu entrada no Hospital Oase de Timbó, às 0h40min do dia 13 de junho, com parada cardiorrespiratória. Ela precisou esperar aproximadamente sete horas para ser transportada até o Santa Isabel em Blumenau.

“Fizemos massagem, colocamos no tubo e ela voltou a ter batimento e pressão. Ela ficou inconsciente, em nenhum momento acordou”, explica Marcone Pereira Amorim, médico que auxiliou no atendimento à paciente no hospital de Timbó.

Depois de reanimá-la, a equipe médica conseguiu uma vaga na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital de Blumenau. Mas, devido à gravidade da sua condição de saúde, a paciente precisava ser transferida em uma unidade móvel de urgência.

“A médica ligou, o Samu aceitou [fazer o atendimento] e cerca de duas horas e meia depois ligaram para avisar que o Samu não faria o transporte porque a ambulância tinha quebrado”, detalha o médico Marcone. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) confirmou o problema na viatura, que estragou a caminho do atendimento.

Segundo o hospital de Timbó, a família pagou uma ambulância particular que transportou a paciente para o Hospital Santa Isabel, às 7h30. Ela foi internada na Unidade de Terapia Intensiva onde ficou por quatro dias, até sua morte, na madrugada de quarta (17). O hospital não informou a causa da morte.

“É difícil saber se a demora no transporte foi determinante para a morte, mas ajudou a agravar o quadro de saúde”, explica o médico Amorim.

Posição do Samu
Em nota, o Programa de Atenção Integral à Saúde (SPDM), que administra o Samu, informou que já havia atendido a paciente de Timbó devido a uma crise convulsiva às 0h08min do dia 13 de junho. Enquanto a equipe a levava para o hospital, ela apresentou nova parada cardíaca. Ela foi atendida pelo Samu e, depois, pelo hospital, às 0h40.

Conforme o Samu, o acionamento para transferir a mulher foi feito às 1h20min e a unidade de suporte avançado mais próxima estava em Blumenau em outro atendimento. A ambulância se dirigiu para Timbó, mas quebrou no caminho. De acordo com a nota, o Samu comunicou à médica do hospital, que “optou por realizar a transferência com outro serviço médico”.

De acordo com o gerenciador do Samu, Cesar Korczaguin, o veículo é novo e passa por constantes manutenções. “Existe a intenção da Secretaria de Estado de Saúde de adquirir novas unidades para todo estado, incluindo o Vale, mas isso depende de um trabalho que estamos realizando de mudanças. Já devemos ter algum resultado até o fim do ano”.

Segundo Korczaguin, a paciente estava assistida e casos de transferências são secundárias. “Não que seja mais ou menos grave, mas a prioridade é atendimento pré-hospitalar”, informou.

Fonte: http://g1.globo.com/
Foto: Fotos GOVBA, via Flickr