fbpx

CENTRAL DE ATENDIMENTO 24H: 0800 61 3333

Justiça condena médico a indenizar familiares da mãe de Sean Goldman

Bruna Bianchi morreu após o parto do segundo filho em 2008. O primeiro filho, Sean Goldman, virou alvo de disputa judicial entre avós maternos e o pai.

A Justiça do Rio condenou o médico obstetra a pagar indenização à família de Bruna Bianchi Ribeiro Carneiro Lins e Silva, que morreu em 2008 após dar à luz ao seu segundo filho, fruto de seu segundo casamento. De acordo com a decisão, o médico terá que pagar R$ 200 mil para cinco familiares de Bruna, entre eles, Silvana Bianchi Carneiro Ribeiro, mãe da vítima.

Bruna era mãe de Sean Goldman, o menino que ficou do meio de uma extensa batalha judicial entre os avós e o pai, que mora nos Estados Unidos. O menino era o filho mais velho de Bruna. A Justiça ainda determinou o pagamento de pensão para dois dos seis autores do processo.

A 47ª Vara Cível do Rio, no entanto, julgou improcedente o pedido contra a Casa de Saúde São José e condenou os autores a pagar as custas processuais e R$ 15 mil de honorários advocatícios. As partes ainda podem entrar com recurso.

Disputa judicial
A disputa judicial pela guarda de Sean começou depois da morte da mãe de Sean, Bruna Bianchi, em 2008. Antes da decisão da Justiça brasileira autorizando a permanência do garoto com o pai biológico, Sean morava no Brasil havia quase 5 anos, após ter sido trazido dos Estados Unidos pela mãe. Já no Brasil, Bruna Bianchi se separou de David e se casou com o advogado João Paulo Lins e Silva. Em 2008, após a morte de Bruna, o padrasto ficou com a guarda provisória da criança. David Goldman, no entanto, entrou na Justiça e pediu o retorno da criança aos Estados Unidos, o que aconteceu em dezembro de 2009.

Fonte: http://g1.globo.com/
Foto: photl.com