CENTRAL DE ATENDIMENTO 24H: 0800 61 3333

Hospital de Araruama, RJ, registra segunda morte de bebê em um mês

Pais afirmam que houve negligência médica e do hospital. Prefeitura diz que pediu reunião para discutir os casos.

Em pouco menos de um mês, a Fundação Medico Hospitalar São Silvestre, no Centro de Araruama, na Região dos Lagos do Rio, registrou a segunda morte de bebê recém-nascido. Mais uma vez os pais afirmam que houve negligência do hospital e dos médicos. A Prefeitura diz que vai se reunir com a unidade para discutir os casos. A morte mais recente aconteceu na madrugada de domingo (19).

Daniele Calixto procurou o hospital após recomendações do médico que a acompanhou no pré-natal. A filha dela nasceu com quase 4kg e medindo pouco mais de 50 centímetros. Tudo parecia bem até que a criança saiu da sala de parto e morreu pouco mais de uma hora depois, segundo os pais. Daniele conta que não teve informações sobre a criança durante 12 horas e nem contato com a filha.

“Ninguém me deu informações sobre minha filha. Fui até a enfermaria e ninguém falava nada. Só depois que meu marido chegou ao hospital é que me deram notícias”, lamentou a mãe.
O pai da menina, Ezequias Fernandes, também acusa o hospital por não informar o estado de saúde do bebê. “Em momento nenhum me ligaram para falar que tinha algo errado com minha filha”, descreveu.

O casal conta que a busca por atendimento começou na terça-feira (14). Foram pelo menos cinco tentativas frustradas por auxílio no hospital, de acordo com os pais da menina. A insistência se deu porque Daniele estava com fortes dores. Além disso, ainda segundo o casal, a última ultrassom mostrou uma alteração e a médica responsável pelo exame pediu para que a mãe buscasse atendimento com um obstetra.

A internação só foi providenciada quando o casal ligou para o médico que acompanhou o pré-natal de Daniele, sendo internada com 41 semanas e cinco dias de gestação.
Por meio de nota a Prefeitura de Araruama disse que está fazendo contato com a direção da Fundação Hospitalar São Silvestre para a realização de uma reunião onde serão discutidas as três mortes registradas na unidade, além de acompanhar a apuração dos fatos.

O outro caso de morte de bebê registrado no hospital aconteceu no mês passado. No dia 23 de março, uma mulher deu à luz a um bebê morto após esperar por quase três dias pelo parto na unidade. De acordo com o familiares, ela chegou na madrugada de sábado e um médico a deixou na espera por um parto normal, mas o parto só foi feito na segunda após uma troca de plantão e a chegada de outro médico.

Na mesma segunda, uma adolescente de 17 anos teve seu bebê em casa após ser liberada por esse mesmo médico, segundo os laudos.

Fonte: http://g1.globo.com/
Foto: Marcelo Figueiredo, via http://www.aldeiawebnews.com.br/