CENTRAL DE ATENDIMENTO 24H: 0800 61 3333

No Pará, jovem vítima de acidente morre em hospital e família reclama de negligência

Morreu por volta de 23h de sexta-feira (12), no Hospital Municipal de Santarém, oeste do Pará, uma jovem de 27 anos que foi atropelada por um ônibus no cruzamento das Avenidas Mendonça Furtado e Turiano Meira. A família reclama de negligência no atendimento.

Patrícia Lopes Pinheiro era vendedora e trabalhava no Centro Comercial da cidade. Ela seguia em uma motocicleta quando foi atingida pelo ônibus. O motorista do veículo, disse aos agentes de trânsito que realizaram a perícia no local que seguia pela Mendonça Furtado e não viu quando a mulher subiu pela Turiano Meira.

Testemunhas disseram que o sinal já estava amarelo quando o motorista continuou o trajeto. A vítima recebeu os primeiros socorros ainda no local e foi levada pelo Samu ao hospital.

Segundo familiares que não quiseram ser identificados com receio de retaliações, Patrícia recebeu atendimento em uma cadeira de rodas. “Não tinha suporte para o soro, não teve atendimento, só um rapaz que viu que ela estava passando por dificuldades e chamou a enfermeira. A enfermeira chamou o médico e levaram ela depois de muito tempo para a sala de reanimação. De lá ficou aguardando porque ela estava muito agitada, para fazer outra bateria de exames, e nesse período ela teve uma parada cardíaca e não resistiu”, relatou um familiar.

Nota hospital
Em nota, o HMS informou que a paciente foi prontamente acolhida e como estava bastante agitada, acabou retirando o colar cervical e não permaneceu em maca que estava disponível. A unidade ressaltou ainda que por conta própria, Patrícia Lopes preferiu ficar em cadeira de rodas ao realizar os exames de imagem, recebendo medicação e pré-avaliações clínicas.

A nota enfatiza que após a avaliação do médico plantonista, constatou-se provável trauma torácico – quadro clínico de difícil reversão. Em seguida, foi avaliada pela equipe de cirurgia geral que encaminhou a paciente ao setor de reanimação, onde foram realizadas, durante uma hora, procedimentos para a sobrevida da paciente que não resistiu.

Fonte: http://g1.globo.com/
Foto: Arakin Monteiro, via Flic
kr