CENTRAL DE ATENDIMENTO 24H: 0800 61 3333

Investigado caso de homem levado vivo ao necrotério, em Cuiabá

O Conselho Regional de Medicina (CRM) de Mato Grosso, a Polícia Civil e a Prefeitura de Cuiabá estão investigando o caso do paciente Vitalino Ventura da Silva, de 57 anos, que foi enviado, ainda com vida, ao necrotério do Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá (PSMC), no domingo (19).

O CRM instaurou sindicância para apurar a situação, que envolve profissionais que prestavam atendimentos na unidade.

A vice-presidente do Conselho, Maria de Fátima Carvalho, relatou sobre as averiguações que deverão ser feitas: “É importante darmos condições a que seja feita a ampla defesa. A sindicância foi instaurada para responder de forma mais precisa sobre os médicos envolvidos no caso.”

O Conselho solicitou ao Pronto-Socorro de Cuiabá o prontuário de atendimento de Vitalino, para realizar investigação. O documento deverá ser entregue em 10 dias.

“É difícil avaliar [se a falha colaborou para o aceleramento da morte do homem]. Foram feitas duas reanimações e houve um esforço grande para mantê-lo vivo”, disse a vice-presidente, se referindo a procedimentos realizados antes da falha.

A sindicância, porém, deverá durar cerca de um ano para ser concluída. Além dos profissionais que trabalhavam na Sala Sermelha, outras pessoas poderão ser convocadas para falar sobre o caso.

“É possível que mais pessoas sejam arroladas. Devemos ouvir muita gente, além de toda a equipe que lidou com o corpo”, dissse.

A profissional comentou sobre o denominado “Fenômeno de Lázaro”, que poderia ser uma das explicações para o caso: “O Fenômeno de Lázaro acontece quando o paciente não apresenta respostas e, depois, apresenta sinais de vida”, explicou.

O prolongamento de vida também foi um dos assuntos abordados pela vice-presidente do CRM, durante coletiva de imprensa: “A distanásia ocorre quando há o prolongamento da vida do paciente, mesmo não havendo o que fazer. É possível que a equipe tome a decisão em casos assim”, disse.

Maria de Fátima ainda citou as condições precárias do Pronto-Socorro de Cuiabá: “A unidade trabalha em condições muito difíceis, a gente vê a sobrecarga dos pacientes. Possuímos dificuldades para garantir equipamentos a todos”, lamentou.

Inquérito
A Polícia Civil instaurou inquérito para apurar a morte de Vitalino. As investigações ficarão a cargo da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), sob o comando da delegada Anaíde de Barros.

De acordo com a assessoria de imprensa, mesmo não sendo doloso, o caso foi repassado à DHPP.

O principal motivo para o encaminhamento é o fato de as investigações sobre as possíveis falhas na condução do atendimento, que poderiam ter acelerado a morte do paciente.

Prefeitura
A Secretaria de Saúde de Cuiabá (SMS) também abriu sindicância para apurar. Em nota, na segunda-feira (20), a pasta lamentou o ocorrido e afirmou que a responsabilidade dos profissionais envolvidos na falha será investigada.

Fonte: http://midianews.com.br/
Foto: Mariya Prokopyuk, via Flickr